quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Feliz 2010 !


Desejo a todos os amigos (as) e visitantes do blog, sejam pequeninos ou grandinhos, um ano novo
repleto de realizações ! Bj a todos.

sábado, 26 de dezembro de 2009

tempo, tempo


as horas vagam
no túnel do tempo
tic-tac tac- tic
é o som do relógio

nas horas vagas
menino
joga peteca
menina
brinca de boneca
depois da diversão
snif snif ronc ronc
é o som do silêncio
no tom do diapasão


Úrsula Avner

* poema com registro de autoria

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

* Mensagem *

Queridos (as) visitantes,

Estou tendo alguns problemas técnicos para realizar

postagens no blog. Não tenho previsão de quando

conseguirei resolver o problema. Espero retornar em breve.

Um abraço afetuoso a todos e meus votos de felicidades nestes

dias de fim de ano e a cada dia do ano vindouro.


Úrsula Avner

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

* destino *

menino correu ligeiro
pés de vento
rolou no túnel do tempo

ontem era príncipe
hoje plebeu
amanhã será
médico professor ou poeta
contanto que não seja ateu
Meu pai do céu, isso não !

Será pai de outro menino
será cantor ou artista
quem sabe será
engenheiro ou pugilista ?
Hoje, brinca feliz e arteiro
amanhã, virá o sal do limoeiro


Úrsula Avner

* imagem do google sem informação de autoria



sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

* A lua da menina





menina sonhou

que morava na lua

coberta de luz ficou

era alva a face sua


estrelas despencavam

nas mãos da menina

purpurinas brilhavam

azul, amarelo, bonina


cores mil se entrelaçavam

naquele sonho colorido

cores mil adornavam

seu delicado vestido



Úrsula Avner



* imagem disponível no google


sábado, 5 de dezembro de 2009

Na chácara do (xi) ch

choveu
na chácara do vovo
chuva fina molhou
o pé de rosa chá
céu chorou chorou

na horta nasceu
batata e chuchu

no xaxim da vovó
cresce alegre a samambaia
vento revolve no chão o pó
levanta da vovó a saia

o pé do pato é chato
tem cheiro de chulé
o chicote do peão é bravo
corta o lombo do cavalo


a cobra escondida no atalho
é esperta e tem chocalho
barulho na mata faz medo
assusta o cão Alfredo

na bonita chávena
o chá de rosas
esfria

sono chega
é hora da fantasia
cheiro de ventre maresia
mamãe depressa chama
é hora de ir para a cama

galinha chocadeira
correu para o puleiro
se ajeitou como pôde
dorme sem travesseiro

Úrsula Avner

* poema com registro de autoria

* imagem do google

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

* (Passa)gem *


passa vento
passatempo
chuva tórrida passa
deixa lamento
ferro quente passa
o terno de linho
menina esperta passa
a mão no (passa)rinho
o amor não passa sozinho
passa a banda
na avenida
ligeiro passa
o tempo
aposta corrida
com o vento
Úrsula Avner
* poema com registro de autoria
* imagem do google

terça-feira, 24 de novembro de 2009

* a solidão da folha *




folha triste

sombria

desgarrada
da árvore

vaga pelas ruas

agarrada
ao poste
chorou


folha triste

fria

achou que sabia

viver fora da árvore

solitária e aflita
ficou


sozinha
a perambular

vem o sol

vem a chuva

e a folha
a vagar


pobre folha

longe de casa está

as ruas são seu destino


pobre folha

sozinha ficará

talvez encontre abrigo

sob os pés descalços do menino


Úrsula Avner



* poema com registro de autoria

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

* bonito jardim *

Naquele bonito jardim
tudo era flor
rosa
lírio
jasmim

borboletas
alvoroçadas
bailavam

colorida e alegre
mandala
formavam

Naquele bonito jardim
cores intensas
azul
violeta
carmim

pássaros jorgeavam
um canto angelical
brisa suave entornava
seu odor matinal

Aquele bonito jardim
ficou na lembrança
num tempo longínquo
no coração da criança


Úrsula Avner

* poema com registro de autoria

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

* Marisol na janela *



sol despontou
no horizonte
abriu os braços
contente
girassol ficou
sorridente

Marisol acordou
abriu a janela
queria ver
uma estrela
cadente

não era noite
era dia
a menina
tão somente
queria
ver a estrela que cai

a mãe então sorriu -
dia vem noite vai
estrela do dia
estrela da noite

Marisol logo entendeu
que o sol é uma estrela
grande quente bela
somente não compreendeu
porque o sol não cai
na sua janela

Úrsula Avner

* imagem do google
* poema com registro de autoria

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

* O canto do feirante *




quem quer comprar

quem quer comprar

frutas fresquinhas

vindas do pomar


senhor Francisco

dona Maria

venham olhar

também tem sardinhas

tem truta vinda do mar


quem quer comprar

quem quer comprar

sonho, cocada e brigadeiro

doces para se lambuzar

olha o pé-de-moleque arteiro


venha compadre

venha comadre

aqui tem farinha torrada

queijo mineiro e goiabada

ora tem de tudo

ora não tem nada


Úrsula Avner


* poema com registro de autoria
* imagem do google- sem informação de autoria

sábado, 31 de outubro de 2009

* Carlota e Lolita *


Lá vai a minhoca Carlota
em busca de alimento
se contorce até ficar tonta
perfura a terra do jardim
somente pó encontra

sua prima Lolita
de barriga bem cheia
descansa sobre um graveto
de longe uma aranha sabida
tece sua teia

em traçado perfeito

- Olá Carlota !
- Olá Lolita !
- Como você engordou ! Carlota exclamou

- Estou bem alimentada - Lolita retrucou
- Onde está a terra do jardim ? Carlota indagou
- Está na minha barriga - Lolita bradou
- Você comeu a terra e quase nenhuma sobrou ?

Lolita envergonhada

nada mais falou
Carlota cavou

um túnel no resto de terra
e nele se embrenhou

Lolita deitada
de barriga cheia cochilou
a esperta aranha em sua teia
a minhoca gulosa capturou

Lolita de tanto comer achou
que fizera uma façanha
mas a pobre minhoca acabou
virando comida de aranha

Úrsula Avner

* poema com registro de autoria
* imagem do Google- sem informação de autoria

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

* Esperteza de aranha *


Aranha
escala a parede
arranha o teto
tece sua teia

É tiro certo
quando cai
em sua casa
um inseto

A aranha
engole o coitado
do bichinho azarado

Úrsula Avner

* imagem do Google- sem informação de autoria

sábado, 24 de outubro de 2009

* gira e roda / roda e gira

Imagem do blog patriciaeducadora.blogspot.com


Gira a roda
gira o mundo
os ponteiros do relógio
giram num segundo

Na barriga
do menino
a comida
revira
enrosca
faz barulho
lá no fundo

Rola a bola
gira a mola
roda a saia
da menina

repousa abelha
na corola
da flor

voa centelha
na ventarola
do vovô

redondo é o farol
ilumina o mar
como o sol

redonda é a lua
abraça o mar
e no espaço flutua


Úrsula Avner

* poema com registro de autoria

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

* Eu vi *


Eu vi

uma lagartixa na parede

subiu subiu

uma mosca ela engoliu



Eu vi

um peixe na rede

pulou pulou

pela liberdade chorou


Úrsula Avner


* poema com registro de autoria


quarta-feira, 14 de outubro de 2009

* O sabiá e seu canto *



O sabiá

sabia

cantar


Gorjeava

com alegria

o sabiá


Quem ensinou

passarinho

a cantar ?


gorjeava

gorjeava

sem parar


De repente

passarinho

em queda

ver

ti

gi

no

sa


fez do céu

sua morada

engenhosa


gorjea com anjos



Úrsula Avner


Fonte da imagem : Google- sem informação de autoria
* poema com registro de autoria

sábado, 10 de outubro de 2009

* A formiga e o sol *

A formiga sob o sol caminhava
uma folha verde carregava
em sua dura jornada bradava :

- estou cansada
- estou cansada
- estou cansada

O sol que no céu brilhava
e de tão velho bocejava
riu-se da formiga cansada
debochado então cantarolava :

-não seja apressada
-não seja apressada
-não seja apressada

Úrsula Avner

imagem do Google sem informação de autoria
* poema com registro de autoria

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

* Curiosidade infantil *


De quem é a lua

solta no ar ?

Menina quer saber

não para de perguntar


De quem é o sol

que se estende no horizonte ?

Menino quer entender

não para de indagar


Menina perguntadeira

menino curioso

é assim que se aprende

com perguntas e esforço

ao longo da vida inteira
Úrsula Avner
* poema com registro de autoria

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

* Ao contrário *

menina vestiu
a roupa do avesso
mamãe bradou :
- voltemos ao começo

cachorro miou
gato latiu
cobra voou
aranha zuniu

peixe andou
vaca sorriu
cavalo falou
formiga dormiu

que esquisitice !
está tudo ao contrário
quanta maluquice !
coisas do imaginário

Úrsula Avner


* poema inspirado na obra de Carlos Drummond de Andrade-
" O avesso das coisas "
* a imagem postada tem função meramente ilustrativa; não pretende fazer propaganda do livro e nem da editora.

Obrigada por sua presença ! Um abraço com gotinhas de poesia !

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

* pé(-)de(-)moleque *




pé de moleque

( um após outro)

saiu em desatino


correu ligeiro

e serelepe o menino

queria alcançar o céu

agarrar estrelas
no arranha-céu


correu o menino
feito tiro certeiro

pé de moleque

se é doce eu não sei

mas é arteiro


Úrsula Avner

* poema com registro de autoria

* imagem do Google - bruxinhaalegre.blogspot.com

sábado, 26 de setembro de 2009

* Colorido mundo *




verde é a cor da floresta
onde a bicharada faz festa

azul é a cor do mar
branca é a nuvem a vagar

prata
é a cor do luar
vermelha é a rosa a esperar
o cravo um beijo lhe dar

amarelo é o sol que brilha
preto é o céu que anoitece
dourada é a cor que cintila
colorido é o dia que amanhece



Úrsula Avner

terça-feira, 22 de setembro de 2009

* a aranha *



aranha

arranha

o móvel

faz manha

fica imóvel


aranha

se assanha

corre

pela casa

faz pirraça

cria asa


onde se meteu aquela aranha ?

debaixo da cama ou do tapete ?

bicho danado que não se acanha

tece sua teia , escala parede


Úrsula Avner

* poema com registro de autoria

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

* os pirilampos *


vaga-lume dança

entre as flores do jardim

vaga o vaga-lume

bem pertinho de mim


vaga-lume valsa

com outros pirilampos

o lume do vaga-lume

está em todos os cantos


do jardim

em mim


Úrsula Avner


* poesia com registro de autoria

* imagem encontrada no Google- autoria não informada


visite também meu site - " A alma da poesia " http://www.ursulaavner.com/


e o blog " Sempre Poesia " http://ursulaavner.blogspot.com/


Obrigada por sua visita !

terça-feira, 15 de setembro de 2009

* A chuva e a menina *




chuva cai

gota a gota

ploct ploct

( canta a chuva )


menina faceira sai

toda toda

toc toc

( cantam os sapatos da menina)


Úrsula Avner


* poesia com registro de autoria

* imagem do Google- sem informação de autoria

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

* Bailarina pequenina *




A menina pequenina

ergue os pés

quer ser bailarina


rodopia a menina

do salão

até a esquina


fica tonta

a cabeça roda

no chão desmonta

finge de morta


( num minuto)

o corpo estica

feito cauda de pavão

colorida e alegre fica

a menina dançando no salão



Úrsula Avner


* poema com registro de autoria

* imagem retirada do Google- sem informação de autoria


segunda-feira, 7 de setembro de 2009

* Nossa amiga água *




Água , fonte preciosa de vida
corre apressada
no leito dos rios
ou serena
nos oceanos frios

água doce ou salgada
quente ou gelada
nossa amiga encantada
mora dentro de nós
e no interior da terra
em profundas moradas

água , símbolo da vida
menina tímida
ás vezes escondida
mulher formosa
se lança nas montanhas
atravessa o interior das grutas
se aquece nas manhãs
se derrama nas manhas

água namoradeira
beija a terra
num constante ir e vir
faz os frutos germinarem
e o ciclo da vida prosseguir

Úrsula Avner

* poesia com registro de autoria
* imagem retirada de http://desenhotosco.blogspot.com/

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

* Universo infantil *


barco de papel

castelo de areia

cavalo de pau

canção de sereia


boneca de pano

bolinha de gude

pião rodando

chiclete grude grude


brincadeira de roda

álbum de figurinhas

desfile de moda

vídeo-game e casinha


coisas de criança

brincadeiras da infância


sonhos de pequeninos

coisas de meninas e meninos


Úrsula Avner


* imagem retirada do Google - sem informação de autoria

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

* Um sinal colorido no céu *




Estendido no céu

com suas cores vibrantes

se agiganta o arco-íris

para a alegria dos amantes

que da lua se esqueceram

por alguns instantes

para apreciarem

os belos traços coloridos

também admirados pelos infantes


Seja amante ou seja infante

não há quem veja o arco-íris

salpicando o céu de cores

e não queria estar pertinho do Criador

onde a vida é um tapete de flores


Úrsula Avner

* poema com registro de autoria

* imagem retirada do Google- desconheço a autoria

sábado, 22 de agosto de 2009

* Brincadeiras infantis *




Brincar é coisa de criança

pular, jogar, cantar, nadar

quantas travessuras gostosas da infancia !


Fazer arte com muitas tintas coloridas

andar de bicicleta pelas ruas e avenidas

correr pelos campos , pisar a terra molhada

colher frutas das árvores , conversar com a bicharada


Rolar na grama
lambuzar a boca de sorvete

chupar pirulito e cana

escorregar num colorido tapete

respirar o ar da liberdade

isso é que é brincar de verdade


Autoras : Úrsula Avner e Ana Elisa Renault ( minha filha )


Eu e minha filha compusemos esta poesia em 2004


Obrigada por sua visita !


terça-feira, 18 de agosto de 2009

* Sonho infantil *


Sonhei um sonho estranho

onde o mar era céu

e o céu era mar

azul sem tamanho


Quando olhei para baixo

vi nuvens bailando

serenas no ar

ao olhar para cima

vi peixes nadando

nas águas do mar


Se o céu fosse mar

e o mar fosse céu

sobre as nuvens iria andar

e á noite, uma a uma contar

as belas estrelas-do-mar


Úrsula Avner


* poesia com registro de autoria

* imagem retirada do Google

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

* O cavalinho *

cavalo, cavalinho
meu valente amiguinho
galopa imponente
pelos campos e vazantes

relincha e bebe água da fonte
descansa á sombra de árvores verdejantes

cavalo, cavalinho
ensina-me a trotar ?
com os cabelos ao vento
tal qual sua crina a bailar


Úrsula Avner


* poesia com registro de autoria
* imagem retirada do Google imagens

sábado, 8 de agosto de 2009

* Dia e noite

A noite brincou com o dia
manto negro cobriu a claridade
o dia ficou zangado
não queria escurecer sua idade

Espalhou a noite estrelas
no céu claro com um sopro
o dia ficou irado
não queria pisca-pisca em seu corpo

A noite queria saber
porquê o dia estava tão mal -humorado
o dia então revelou
que invejava o brilho da noite avantajado

O dia só tem o sol
para compor seu brilho
a noite tem a lua e milhares de estrelas
iluminando-a em estribilho

Dia e noite fizeram as pazes
seguiram seu curso sendo capazes
de entender que cada qual
tem sua luz como sinal

Úrsula Avner

* poesia com registro de autoria
* imagem retirada do blog criancaevangelica.blogspot.com

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

* Lo jardin *

En lo bonito jardin
vi una flor abrirse
una mariposa en su vuelo

La ninã eschuchara
lo sonido del jardin


No bonito jardim
Vi uma flor desabrochar
uma mariposa em seu voo

A menina escutou
o som do jardim


Úrsula Avner e Ana Elisa Renault

* imagem do Google imagens

* Eu e minha filha Ana Elisa compusemos este pequeno e singelo poema em cumpimento a uma tarefa escolar dada pela professora de espanhol da Ana. A tarefa era a de escrever um pequeno poema cujo tema fosse jardim.
Obrigada por sua presença e carinho !

sexta-feira, 31 de julho de 2009

* bolha de sabão *



Olha a bolha de sabão
soprada no ar
soprada no chão

bolha pequena
bolha gigante
bolha serena
bolha da gente

Bolha de sabão
soprada ao vento
soprada no vão

do pueril pensamento

desenhada em ritmo lento
na palma da mão

delicada bolha
orvalho na folha
lançada ao chão

Menino segura
a bolha na mão
puft ! Em um segundo
rompeu-se a bolha de sabão

vida curta
que o tempo furta

Vive um arco-íris na bolha
explode em múltiplas cores
respingos de água na folha
sabão em pétalas de flores

Úrsula Avner

* poesia com registro de autoria
* imagem retirada do Google imagens

domingo, 26 de julho de 2009

* Momentos *


bola passeia no campo

rola rola


menino manhoso

chora chora


vovô na varanda

tosse tosse


mulher segura a manta

cose cose


menina de miçanga

corre corre


brincadeira cá

peleja acolá


vida que escorre ...


Úrsula Avner


*poema com registro de autoria

* imagem do Google imagens

segunda-feira, 20 de julho de 2009

* A estrela diurna *



Pela manhã

a estrela desperta cedinho

surge por detrás dos montes

bem devagarinho


aquece as águas
beija as flores

ilumina a Terra
dissipa as dores

de quem chorou na escuridão

e ao despontar o dia

renova a esperança de sair da solidão


Amarelo e intenso

quente e imenso

se exibe o astro maioral

no viçoso azul do céu

que cobre o meu quintal



Úrsula Avner


* poema com registro de autoria
* imagem retirada do Google- desconheço a autoria

sexta-feira, 17 de julho de 2009

* Casa dos sonhos *

O dia desperta bocejando
passarinho voa cantando

Cavalo trota na colina
na casa dos sonhos
brinca a menina

Rio corre veloz
vento sibila atroz

Borboletas levitam
são bailarinas
na casa dos sonhos
brinca a menina

Úrsula Avner

* poesia com registro de autoria
* imagem do http://www.glimboo.com/

terça-feira, 14 de julho de 2009

* Gato arteiro *


Gato pulou do muro

ao chão caiu o felino

em dia nublado e escuro


Pulou do muro o gato

fugiu do bicho canino

embrenhou-se depressa no mato


Oh dona Chica me diz

e o berro que o gato deu ?

Saiu correndo o bichano infeliz

branco como o fundo dos olhos meus


Úrsula Avner
* poesia com registro de autoria

sábado, 11 de julho de 2009

* O tempo revolto *



O tempo revolto

levanta poeira do chão

dá volta no quarteirão


Revolto tempo

céu cor de chumbo

nuvens nimbus se juntam

céu escurece num segundo


O tempo revolto

leva o balão da menina

revolta o cabelo de Ondina


Ondas no mar encrespam

águas revoltas brigam

tempo temporal

arranca as roupas do varal


O tempo revolto

dá volta no quarteirão


Tempo temporal

dias ensolarados se vão

no vão do tempo

que levanta poeira do chão



Úrsula Avner


* poesia com registro de autoria

* imagem retirada do site http://www.colorirdesenhos.com/

quinta-feira, 9 de julho de 2009

* Faz de conta *

Quando eu era menina

brincava de amarelinha

de pique-esconde e de casinha

pulava corda, corria pelas praças

queria ter um namorado

brincava de ser princesa

de morar num castelo encantado


Quando eu era menina

gostava de colorir

brincava de desenhar

andava de bicicleta

num delicioso ir e vir


Agora que eu cresci

brinco de faz de conta

finjo que de novo eu nasci

para continuar criança

que outra igual encontra

lá bem no fundo de si


Úrsula Avner


* poesia com registro de autoria

domingo, 5 de julho de 2009

* No piquenique *



Na folha verde
orvalho faz festa

Folha chora
ao som da seresta

de grilos, cigarras
pássaros e bola na cesta

Crianças gritam e correm
sorvete da boca escorre

Lanche gostoso
á sombra da árvore frondosa
vento amistoso
embala a folha chorosa

Úrsula Avner

* imagem retirada do Google
* poesia com registro de autoria

sexta-feira, 3 de julho de 2009

* Constelação *




A vida é cheia de estrelas


estrela no céu


estrela no mar


estrela da sorte




Estrelas no coração das pessoas


a estrela da Léo


a estrela do Gilmar


a estrela do homem de bigode




Úrsula Avner



*poema com registro de autoria


* imagem retirada do Google

terça-feira, 30 de junho de 2009

* O grilo Teleco *




O grilo Teleco

salta entre as flores do jardim

Logo pela manhã

faz ginástica , come capim


Que grilo mais esperto !

Pula de lá para cá

Não tem pouso certo

se embrenha nas folhagens sem fim


Contente e saltitante

o grilo conversa com o jasmim

vive uma incrível aventura

entre os tons de verde do jardim


Úrsula Avner


* poesia com registro de autoria

* imagem retirada do Google

domingo, 28 de junho de 2009

* Na terra do lume *



Na terra do lume

tudo era sol

tudo clarão


Brincava feliz o vagalume

peixe não conhecia anzol

ninguém vivia na solidão


O dia reinava soberano

passarinhos viviam cantando

flores andavam cochichando


A noite caiu em lamento

estrelas despencaram do céu

coruja piou em desalento


A lua sobre as nuvens deitou

não queria deixar o céu

vento a empurrou de lá


Lua cheia minguante ficou

vagava sozinha ao léu

andava chorosa de lá para cá



Úrsula Avner


* poesia com registo de autoria

* imagem retirada do Google